TURISMO

A Argentina é, com 6759 turistas em 2017 – segundo a Organização Mundial do Turismo –,  o país mais visitado de toda a América Latina, depois do México. Dotada de um imenso território, uma variedade enorme de climas, maravilhas naturais, cultura, costumes e gastronomia famosos internacionalmente, um grau elevado de desenvolvimento, boa qualidade de vida e ótima infraestrutura, a Argentina recebe quantidades massivas de viajantes (Wikipedia, Turismo na Argentina).

Turismo na Argentina

Os destinos turísticos preferidos são as estações de ski na Cordilheira dos Andes (Castor, Bariloche, Chapelco y Las Leñas). As vinícolas de Mendoza, também aos pés dos Andes, oferecem uma experiência integral em seus hotéis butiques situados nas próprias vinícolas. O Noroeste Argentino (Salta) também tem uma interessante oferta de vinícolas e turismo (o NOA tem grande amplitude térmica e céu cristalino). Para os que queiram um clima mais quente, as Cataratas do Iguaçu são uma boa opção. Sem afastar-se demais, a Província de Buenos Aires tem hotéis de primeiro nível para aproveitar uns dias de relax longe da cidade e onde o churrasco e o vinho continuam sendo o mais icônico de uma variada gastronomia. As principais companhias aéreas oferecem voos internos seguros e econômicos (não recomendamos o serviço low cost). Vale também reservar alguns dias para ver arte, dançar tango, comprar livros, escutar músicos e sair para comer na Reina del Plata, a cidade de Buenos Aires. 

 INFORMAÇÃO ÚTIL

90% dos turistas chegam pelo Aeroporto Internacional Ministro Pistarini em Ezeiza, a 35 km de Buenos Aires. Mas para seguir viagem a alguns dos destinos do interior é preciso se transladar ao Aeroparque Jorge Newbery (no centro da cidade de Buenos Aires) e é conveniente que o transfer entre os 2 aeroportos esteja incluído na passagem.

Trocar dinheiro: no aeroporto há uma agência do Banco de la Nación Argentina, mas a maneira mais fácil de conseguir pesos é em um caixa eletrônico. Como na maior parte do mundo, atualmente, as moedas mais fáceis de serem trocadas são o dólar e o euro, seguidas do real, da libra esterlina e do yen.

Gorjetas: não são obrigatórias na Argentina, mas é um gesto habitual. Se o atendimento foi considerado bom, a gorjeta gira em torno de 10% do total consumido (em bares, restaurantes, pizzaria e afins, bem como nos hotéis). Nos táxis e remises, a gorjeta são alguns pesos a mais em relação ao custo da viagem (Wikipedia Turismo na Argentina).

Para maiores informações sobre os diferentes lugares turísticos de Argentina, consultar aqui

Fotos do: Teatro Colón , Cataratas do Iguaçu, Patagonia Argentina.